Coordenadas dos meus lugares

A  formação de nós mesmos está relacionada com as experiências que tivemos durante nossa vida e boa parte do que sou hoje foi definida após viajar sozinha pela primeira vez. O viajante torna-se mais experimentativo em sua jornada. Tudo o que vivemos longe de nossa zona de conforto nos proporciona uma ampliação da concepção de mundo que poderíamos ter diante das amarras do nosso lar, das pessoas conhecidas, da cultura de onde nascemos.

Estar no seu “lugar incomum” te dá uma amostra do mundo, da vida e de você mesmo. Assim sendo, é muito mais fácil captar a essência de algo complexo, quando você o coloca como perspectiva de menor escala. Viajar, portanto, é a representação de uma metáfora da vida: nada é constante e ninguém é necessário, mas tudo é importante para a sua evolução.

Para começar, o estilo de vida do caminhoZ inclui a cultura backpacker/mochileira. E obviamente falaremos muito de viagens por aqui. Não somente das viagens, em si, mas de tudo o que está relacionado às experiências obtidas a partir delas. Afinal, o viajante independente (mochileiro) não deve se preocupar somente com o destino desejado: o que mais importa é o que ele encontrará durante caminho.

Esse espírito peregrino se reflete na busca pelo autoconhecimento que todos nós traçamos em nossa vivência.  Em outras palavras, isso significa respeito, solidariedade, compromisso com a verdade e hedonismo (no sentido de aproveitar seu tempo para ser feliz). Se essas definições ainda não estão claras pra você, fique tranquilo, pois conforme você for lendo nossas postagens aqui vai identificando-as aos poucos.

Seja muito bem vindo.